Dengue: Entenda as diferenças entre o Aedes aegypti e o pernilongo comum

Horários, tamanho, alimentação, temperatura e cheiros: Instituto Butantan explica as diferenças entre mosquitos.

Redação Guarulhos Todo Dia

redacao@guarulhostododia.com.br

Divulgação/Governo de SP

Publicado em 08/04/2024 às 11:53 / Leia em 5 minutos

Com São Paulo em estado de emergência por causa da epidemia de dengue, as pessoas ficam muito mais preocupadas quando percebem que estão no mesmo ambiente de algum mosquito. Não dá para saber exatamente se é um inseto inofensivo, um pernilongo comum ou o Aedes aegypti. Por isso, além de ter os cuidados de prevenção para evitar a proliferação do transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, é bom entender também como ele age.

A bióloga Flávia Virginio, curadora da Coleção Entomológica do Instituto Butantan, explica que o Aedes aegypti tem horário e locais mais prováveis para sugar nosso sangue. Ter esse conhecimento ajuda a não confundi-lo com pernilongos.

Horários

Os mosquitos Aedes aegypti despertam com o nascer do sol, período conhecido como crepúsculo matutino, e procuram por alimento geralmente nas primeiras horas da manhã. O oposto ocorre com o pernilongo (Culex quinquefasciatus), que tende a permanecer atrás de armários, sofás em casas de cachorro ou outros lugares com pouca luminosidade durante o dia e sai do repouso no fim da tarde. Seu pico de atuação ocorre por volta da meia-noite e vai decrescendo até a manhã do outro dia.

“Se um mosquito picar você em casa à noite, em uma cidade, por exemplo, há 99% de chance de ser um Culex quinquefasciatus, conhecido como pernilongo comum ou muriçoca. O Aedes aegypti pica majoritariamente de dia porque o ciclo circadiano dele aponta a noite como momento de repouso.”

Flávia Virginio, curadora da Coleção Entomológica do Instituto Butantan

Tamanho

O tamanho corporal dos mosquitos adultos também pode ajudar a diferenciá-los, embora isso possa variar dependendo das condições ambientais e da disposição de alimento a que os representantes de cada espécie sejam expostos.

“O tamanho corporal muda conforme o sexo, sendo em geral fêmeas maiores do que os machos. Considerando minha experiência, vendo diariamente mosquitos das três espécies, em geral, o pernilongo costuma ser mais robusto e maior que o Aedes aegypti”, explica Flávia.

No entanto, essas características podem variar se um exemplar de uma espécie comer mais do que o da outra durante a fase larval. “Certamente o que comeu mais será maior do que o que comeu menos”, reforça.

Alimentação

Apesar de agirem em horários diferentes, tanto as fêmeas do Aedes aegypti quanto as do pernilongo (Culex quinquefasciatus) vivem à base de sangue humano porque o líquido é essencial para nutrir seus ovos, embora também consumam seiva de plantas.

Ao sugar o sangue de alguém infectado pela dengue, o A. aegypti se contamina com o vírus, embora não possa transmiti-lo a outras pessoas instantaneamente. A fêmea não adoece como o ser humano, mas pode ter diminuição de sua capacidade de voo e reprodução. Em questão de dias se torna capaz de transmitir o vírus para o humano pela sua saliva. O mesmo ocorre com os vírus da Zika e chikungunya.

Já os machos de Aedes e Culex se alimentam somente da seiva de plantas, fontes de carboidratos necessários para sobreviverem.

“Em raras exceções, até onde se sabe, alguns machos podem nascer infectados, devido à transmissão transovariana, onde a fêmea infectada passa o vírus para seus filhos e, consequentemente, esses machos podem transmitir o vírus sexualmente para as fêmeas. Mas isso ainda está sob investigação dos cientistas.”

Flávia Virginio, curadora da Coleção Entomológica do Instituto Butantan

O tempo médio de vida dos mosquitos Aedes e Culex é de 30 dias.

Temperatura e cheiros

Além do sangue, as fêmeas de Aedes e Culex também são atraídas por “cheiros” e gases expelidos por humanos e animais, captados através de quimiorreceptores nas antenas e em outras estruturas do corpo. “Apesar de elas não possuírem narinas, como os humanos, quando sentem o ‘cheiro’ de suor, entendem que há vida ao redor e se aproximam para tentar se alimentar. É a mesma coisa quando sentimos cheiro de um bife na grelha e temos vontade de comer”, explica Flávia.

Além do cheiro, esses mosquitos também são atraídos pela temperatura corporal humana e por pessoas que vestem roupas de cores mais escuras, como preta, azul e vermelha.

Da mesma forma que existem cheiros atrativos, existem os odores que repelem os mosquitos. O exemplo mais popular são os repelentes de uso tópico ou de ambientes.

Diferenças entre aedes aegypti e pernilongo

Veja abaixo, no infográfico divulgado pelo Portal do Governo de São Paulo, as principais diferenças entre os mosquitos:

Infográfico mostra as diferenças do Aedes aegypti para o pernilongo comum

Fonte: Portal do Governo de SP

Compartilhe

Siga o Guarulhos Todo Dia

Siga no Google News

LINHA 19-CELESTE

Projeto do Metrô em Guarulhos inclui túnel na Paulo Faccini com a Tiradentes

DIÁRIA CARA

Sob risco de leilão: 7.889 veículos estão apreendidos em pátios do Detran em Guarulhos

PROGRAMA ESTADUAL

7 escolas de Guarulhos querem ser cívico-militares; entidades tentam vetar projeto

CHAPA PURA

Eleições 2024: Márcio Nakashima (PDT) terá Josinaldo Cabeça como candidato a vice

VEJA COMO DENUNCIAR

Acidentes com balões na rede elétrica afetaram 453 casas em Guarulhos em 2024

ESQUEMA CRIMINOSO

Entenda o golpe do Pix errado e saiba como não ser enganado

Nomes nas urnas

Eleições 2024: partidos de Guarulhos começam a oficializar seus candidatos

LESÃO CORPORAL CULPOSA

Trânsito está mais violento em Guarulhos: Acidentes com feridos crescem 38% em um ano

ANTIGOS ADVERSÁRIOS

Eleições 2024: Elói Pietá (Solidariedade) terá Fran Corrêa (MDB) como candidata à vice

CHAPA DEFINIDA

Eleições 2024: Waldomiro Ramos (PSB) terá Claudia Papotto como candidata à vice

ENTENDA O CASO

Jardim Álamo protesta contra mudanças na rodovia Presidente Dutra

Quem vota na cidade

Conheça o perfil dos eleitores de Guarulhos que vão votar este ano